QUINTA MOLIS BELTA

Remodelação de habitação para fins turísticos, Vagos, Aveiro, 2016.

Romulo Neto Arquitetos
Romulo Neto Arquitetos
Romulo Neto Arquitetos
O exercício que o cliente nos propôs tinha como objetivo, remodelar a casa existente, tornando-a mais flexível na utilização, dignificando e personalizando cada espaço. A luminosidade e a relação com a ria eram fatores nucleares no desenvolvimento do projeto. Apresentámos várias soluções e acabámos por decidir que a habitação só podia funcionar se algumas das paredes estruturais deixassem de existir. Foi uma opção complexa, uma vez que tivemos que reforçar a laje com vigas invertidas, e assim desmembrar alguns espaços interiores.

A estratégia da fachada principal foi ocultar a entrada da garagem com ripado de madeira. De seguida, criámos um pequeno palco, que pontuámos com uma oliveira, representando a longevidade e o respeito que tínhamos pela construção antiga. Por detrás desta, utilizámos um grande painel de inox polido, para que pudéssemos refletir e espelhar a nossa árvore. Lateralmente, erguemos uma parede suspensa para tornar a frente mais transparente e leve. Quisemos também contrastar as janelas para que tivessem o máximo de expressão, aplicámos umas cantoneiras metálicas de cor preta para as "encaixilhar". No ponto de chegada, construímos grandes lâminas com espaços limitados entre elas, na horizontal e na vertical, definindo de forma elegante o momento da chegada.

No telhado, decidimos construir uma escada de luz, que representa a evolução da vida, e cria um momento alto para definir o espaço mais importante da casa, a sala de jantar. Ao entrarmos dentro da habitação, o nosso ponto de visão esbarra num plano de luz natural, e lateralmente deparamo-nos com uma parede facetada, revestida com um espelho, debruçada e declinada para o primeiro encontro com o hóspede.

Na escada de acesso ao piso -1 existe um espaço de leitura, uma vez que a largura do local dava-nos essa possibilidade. O encontro com o céu era inevitável, e fizemos da cobertura uma janela de encontro com as estrelas.

Nos quartos virados a nascente, encontramos de manhã a ria que vaza e enche ininterruptamente, dando-nos a sensação que a nossa vista é todos os dias diferente. A cor e o formato do junco inspirou-nos para os revestimentos exteriores. Utilizámos a ripa de pinho nórdico, termicamente modificado, para que pudesse existir no tempo sem qualquer manutenção. As áreas exteriores foram cuidadosamente desenhadas para que a piscina, a calçada portuguesa, os espaços verdes e a ria pudessem dialogar permanentemente.
The exercise that the client proposed to us was to remodel the existing house, making it more flexible in its use, dignifying and personalizing each space. The luminosity and the relation with the river were nuclear factors in the development of the project. We presented several solutions and decided that the housing could only work if some of the structural walls ceased to exist. It was a complex option, since we had to reinforce the slab with inverted beams, and thus dismember some interior spaces.

The strategy of the main façade was to hide the entrance of the garage with wooden slat. Then we created a small stage, which we punctuated with an olive tree, representing the longevity and respect we had for the old construction. Behind this, we used a large polished stainless steel panel, so we could reflect and mirror our tree. Laterally, we lift a suspended wall to make the front more transparent and light. We also wanted to contrast the windows so that they had the utmost of expression, we applied some black metal angles to the "framing".

At the arrival point, we construct large blades with limited spaces between them, horizontally and vertically, elegantly defining the moment of arrivalOn the roof, we decided to build a ladder of light, which represents the evolution of life, and creates a high moment to define the most important space of the house, the dining room. As we entered the room, our point of view collapsed into a plane of natural light, and later we came upon a faceted wall, clad in a mirror, leaning over and declined for the first meeting with the guest.

In the access stairway to floor -1 there is a reading space, since the width of the place gave us this possibility. The encounter with the sky was inevitable, and we made the skylight a window of encounter with the stars.

In the rooms facing the spring, we find in the morning the laughter that leaks and fills uninterruptedly, giving us the sensation that our view is different every day. The color and shape of the reed inspired us for the outer coats. We used the Nordic pine slab, thermally modified, so that it could exist in time without any maintenance. The outdoor areas were carefully designed so that the pool, the Portuguese sidewalk, the green spaces and the river could talk permanently.
Romulo Neto Arquitetos
Romulo Neto Arquitetos
Romulo Neto Arquitetos
Romulo Neto Arquitetos
Romulo Neto Arquitetos
Romulo Neto Arquitetos
Romulo Neto Arquitetos
Romulo Neto Arquitetos
Romulo Neto Arquitetos
Romulo Neto Arquitetos